29 de abr de 2011

Faça Parte Desta história...





A maquiagem que hoje faz parte do nosso dia-a-dia já foi motivo de grandes mudanças no comportamento feminino. Mas afinal, como tudo isso começou?!


Há indícios de que a maquiagem originou-se e passou a fazer parte da vida das pessoas há muitos anos.










No Antigo Egito os faraós tinham o costume de usar maquiagens nos olhos para evitar o olhar direto ao Deus do Sol, Rá.


 



Símbolo de beleza, a Cleópatra é um dos ícones mais antigos da humanidade.  Apesar de muitos historiadores relatarem que ela não era tão bonita, a vaidosa rainha fazia tratamentos banhando-se em leite, cobrindo as faces com argila e maquiando os olhos com o pó de Khol.













Na Roma antiga, conta a lenda que Popéia (imperatriz de Roma e segunda esposa do imperador Nero) usava leite de jumenta em seus banhos, para ter uma pele mais branca.

Espalhada a notícia sobre os segredos da imperatriz, o hábito virou moda entre as romanas que passaram a usar máscaras noturnas: farinha de favas e miolos de pão combinados ao leite de jumenta.
           
Mas na verdade Popéia, para dar impressão de que era mais branca, maquiava as veias dos seios e testa com tinta azul dando uma aparência translúcida a pele. A mistura foi imitada com giz, pasta de vinagre e claras de ovos durante muitas décadas.



 



No Japão, por volta dos séculos IX ao XII a pele clara também era almejada pelas mulheres. Era comum o uso de um pó espesso e argiloso feito com farinha de arroz, chamado Oshiroi e para deixar as bochechas rosadas usavam uma espécie de pasta de Açafrão.




 




O primeiro creme facial do mundo foi criado em 150 A.c pelo físico Galeno e sua composição era: água, cera de abelha e óleo de oliva. A partir daí nasceu a primeira base cremosa facial, com a substituição do azeite por óleo de amêndoas e a incorporação de bórax para a formação da emulsão, minimizando o tempo de processo



Algumas instituições mostraram-se contra o uso de maquiagem pelas mulheres. A igreja católica dizia que isto era um ato de luxúria, que as mesmas pediam a inocência e levavam homens ao pecado.


No final do século XVIII, o Parlamento inglês propôs implantar uma lei que condenava as mulheres que usavam maquiagem e adornos, da mesma maneira que as bruxas eram condenadas. Além disso, o termo isentava os maridos de suas obrigações que haviam casado com mulheres de “falsa máscara”, ou seja, com muita maquiagem. Houve casos em que os maridos escreveram ao governo, pedindo divórcio porque a esposa não era a mesma sem maquiagem, causando falsas expectativas.





Apesar da igreja e dos costumes rígidos, a beleza reinou e com o passar dos anos novos produtos, marcar e profissionais foram consolidados. Pintar os lábios tornou-se moda desde o século XVII, quando os produtos ficaram mais acessíveis. No século XVI maquiagem e perfumes passaram a substituir atos de higiene.


No século XIX, Charles Frederick Worth surge como o primeiro estilista , abrindo sua loja em Paris em 1858. Em 1885 marcas de luxo como Paul Poiret, Madeleine Vionnet, Coco Chanel, Christian Dior, Cristóbal Balenciaga, Hubert Givenchy causaram mudanãs na histórial da moda mundial.


Hoje em dia os produtos de beleza simbolizam a feminilidade, poder e sensualidade. Além das mulheres, os homens passaram a se cuidar mais a ponto de usarem cosméticos; e alguns são considerados até metrossexuais. Mas esse já um outro assunto.






A maquiagem surgiu há muitos anos e promete perdurar por muito mais! E se eu fosse você ficaria bem atenta às novidades da nossa Era, que fará história!








Nenhum comentário:

Postar um comentário